futebol: AJI x E. M. Indígena Agostinho

Hoje jogaram os times masculino e feminino da AJI contra alunos da Escola Municipal Indígena Agostinho. O feminino AJI venceu por 3 a 2 e o masculino por 4 a 3. Abaixo a ficha técnica.

02

01

03

Time Femino AJI
Goleira: Laudicéia; Zaga: Radyja e Angelica; Meio campo: Babi; Centroavante: Carol. Reservas: Josieli e Aline.

Time Feminino E. M. I. Agostinho
Goleira: Sintia; Zaga: Amanda e Evelin; Meio campo: Natanieli e Centroavante: Stefani. Reservas: Geisilaine, Lorainy, Dania e Sorrayla.

Resultado: AJI 3 x 2 E. M. I. Agostinho
Gols: Karol, Babi e Joice (AJI); Amanda e Evelim (EMIA)

 

Time Masculino AJI
Goleiro: Geber; Meio campo: Eliabe, Gelison; Centroavante: Geber; Ponteiros: Lucas e Edilson; Reservas que atuaram: Edilson; e Mazinho.

Time Masculino E. M. I. Agostinho
Goleiro:
Dam; defesa: Jair; Meio campo: Laudio e Denilson; Atacantes: Jakson e Lisandro; Reservas: Gabriel, Daltan, Rodrigo. Higor, Geverton, Fabricio e Josiel.

Resultado: AJI 4 x 3 E. M. I. Agostinho
Gols:
Lucas (2); Eliabe; Mazinho (AJI) e Lisandro; Denilson; Dalton (EMIA)

Fotos: Itacir Pastore.

Denúncia contra vândalos na reserva de Dourados

foto: Jaqueline Gonçalves Porto

Comunidade indígena, funcionários da SESAI e AJI/GAPK denunciam vandalos na Reserva de Dourados

Comunidade indígena denuncia vândalos que entraram pela décima vez no Posto de saúde indígena GUATEKA na aldeia Jaguapiru em Dourados/MS. Romilda Martins, enfermeira, disse que vândalos levaram geladeira e estragaram os equipamentos que os médicos usam para atendimento a comunidade indígena, por conta de tantos assaltos ela conta que agora o posto de saúde encontra-se mais precário do que se encontrava. Em 2014 foi feito uma reforma no PS GUATEKA, três anos depois em 2018 o posto de saúde está com infiltrações por toda parte, as ultimas portas e cadeados que foram instaladas no postinho de saúde foi paga com dinheiro de funcionários. Essa situação é emergencial, segurança, grade de ferro, respeito, denunciem os vândalos e chamando atenção da prefeita de Dourados para os vigias assumirem  eram as palavras e cartazes da comunidade indignado com tanto vandalismo na Reserva de Dourados.

A comunidade indígena da Jaguapiru, a AJI (Ação de Jovens Indígenas de Dourados) e GAPK (Grupo de Apoio aos povos Indígenas) pede mais segurança e exige da prefeita de Dourados Delia Razuk que chamem os concurseiros que passaram para vigilantes para assumir e trabalhar nos postos de saúde indígena onde não tem vigia, como no PS GUATEKA. A AJI/GAPK e a comunidade indígena da Jaguapiru também vem reforçar o pedido dos funcionários que é uma grade de ferro nas portas e janelas para dar mais segurança ao PS GUATEKA .

Comunidade indígena DENUNCIEM OS VANDALOS! O POSTO DE SAÚDE É A NOSSA CASA! RESPEITO É O QUE QUEREMOS COM O QUE É NOSSO!