No início do ano, Sidneide Alves foi acusada de perseguir e demitir pelo menos 17 trabalhadores indígenas, entre eles a então coordenadora do polo-base, Indianara Kaiowa.A Sesai ainda não se manifestou sobre o protesto de hoje em Dourados. A coordenadora não foi ao local. A professora Keila disse que os funcionários não estão sendo impedidos de trabalhar, mas os manifestantes vão permanecer no prédio até Sidneide ser exonerada. Fonte: CAMPO GRANDE NEWS

Pode ser uma imagem de ao ar livre

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑